Ex-núncio do Vaticano na França foi condenado à prisão por agressões mas recebe suspensão de pena

Núncio do Vaticano na França

Ex-núncio do Vaticano na França foi condenado à prisão por agressões. Costanello foi condenado a dois anos e meio de prisão à revelia. Ele foi condenado a um ano de prisão sob acusação de agressão e agressão com arma mortal. Ele também cumprirá um ano de prisão domiciliar.

Costanello é acusado de bater em um assistente antes do depoimento do Papa Bento XVI em março de 2020. O assistente sofreu ferimentos leves.

Ex-núncio do Vaticano na França é condenado à prisão por agressões

VEJA AQUI O AUXÍLIO DOENÇA

Um policial do Vaticano testemunhou que o ex-embaixador do Vaticano o acertou na perna com o punho. A freira e a assistente declararam na audiência preliminar que foram agredidas por Costanello.

Em audiências separadas, o promotor irlandês apresentou provas contra o ex-embaixador do Vaticano Costanello. Ele havia sido interrogado sob imunidade e produziu vários artigos revelando pagamentos a um ex-cardeal austríaco pela publicação de documentos papais confidenciais.

O juiz do caso rejeitou um pedido de exame psiquiátrico como motivo para a sentença agravada. O ex-embaixador do Vaticano fez um apelo de não contestar e aceitou as provas contra ele como um fato no julgamento.

Ele afirma estar arrependido por sua participação nas “ractions” contra Bento XVI. No entanto, ele só poderia oferecer uma declaração por escrito admitindo uma reunião com o ex-cardeal alemão e por aceitar dinheiro.

A sentença contra Costanello é pesada. Ele cumprirá uma pena de prisão mais três anos de punição de obras públicas. Suas ofensas permanecerão em seu registro público. Ele está proibido de manter qualquer cargo no governo do Vaticano após sua libertação da prisão. Ele também está proibido de viajar para qualquer instalação do Vaticano.

Um apelo por clemência foi apresentado ao Papa Bento XVI pelos então arcebispos de Malta e Irlanda, João Paulo II e George Pell. Eles expressaram tristeza com a terrível sentença contra Costanello, mas expressaram vontade de trabalhar com a Secretaria de Justiça do Vaticano em sua revisão do caso. Eles expressaram confiança de que a sentença seria reduzida quando o caso fosse apresentado perante os bispos italianos.

VEJA SE VOCÊ PODE PEDIR VALE TRANSPORTE NO SEU TRABALHO

Francisco, que é o líder da Igreja Católica Romana, recusou-se a comutar a sentença ou dizer qualquer coisa sobre ela. Ele emitiu um comunicado dizendo que a decisão é privada e pessoal e não pretende ser um sinal do perdão da Igreja por Costanello.

Um porta-voz do Vaticano disse à mídia que o Santo Padre está ciente da situação. Um funcionário do Vaticano disse que o Papa considera a sentença injusta, mas não pôde dar nenhuma explicação sobre por que a decisão não foi imediatamente executada.

A sentença contra Costanello trouxe uma reação furiosa do governo italiano, da oposição conservadora e do Secretariado de Justiça do Vaticano. O Vaticano apontou que o assunto dizia respeito a uma “manicule” ou uma abordagem extrajudicial ao procedimento da justiça.

O chefe da comissão do Vaticano para as relações entre a Santa Sé e as dioceses, cardeal Ludspet, afirmou que a Congregação para as Causas dos Erros havia falhado em seu dever de aplicar a lei penal corretamente no caso.

O Papa, na verdade, suspendeu as sentenças dos quatro ex-núncios. Isso significa que eles estão livres para pedir licença para apelar perante a Santa Sé. As sentenças permanecerão em vigor até que o processo de apelação seja concluído. Se todos os recursos forem bem sucedidos, então as sentenças serão suspensas e todas as punições serão retiradas.

INSCREVA-SE AQUI NA CNH GRATUITA

É importante ressaltar que isso não significa que a sentença pronunciada contra os quatro ex-núncios possa ser levantada ou reduzida. Não há nada automático nisso.

Se os quatro reclamantes não conseguirem pagar o valor da multa, então ela pode ter que ser reduzida. Se os reclamantes quiserem recorrer, então eles podem ter que restabelecer a sentença original ou ajustar o valor da multa.

O Papa também lembrou aos fiéis que eles não devem presumir que a sentença pronunciada contra eles é uma ordem direta do Santo Ofício. Eles não devem pensar que foram escolhidos por alguma atenção imerecida ou pior, injustiça.

Eles devem lembrar que há outras pessoas que podem estar envolvidas no mesmo caso. Em alguns casos, a sentença pronunciada contra outra pessoa pode ter que ser ajustada ou alterada para que tanto os denunciantes quanto os demais recebam apenas punição.

As denúncias envolvendo abuso da Santa Sé devem ser tratadas imediatamente, especialmente quando envolvem menores. Nunca se deve confrontar outra pessoa diretamente, especialmente se ela não tem certeza de suas intenções.

Uma denúncia contra outra pessoa pode levar a mais problemas, mesmo que a primeira pessoa esteja ciente da possibilidade de uma denúncia ser apresentada contra ela.

O Santo Padre é o responsável por fazer uma denúncia contra outro indivíduo. Se você está em dúvida se você pode fazê-lo, você pode consultar seu padre ou atender um telefonema.

Você gostará de ler também o artigo: MacKenzie Scott ex-mulher de Jeff homem mais rico do mundo doa R$ 20 bi em 4 meses

Conheça o autor do artigo:
Mônica
: Apaixonada pela escrita e pelas palavras. Escrevo para explorar ideias, compartilhar histórias e criar conexões. Meu objetivo é inspirar, informar e emocionar através das palavras.
veja todos os artigos
artigos relacionados Read also:
Stocks Stocks React Sharply to March Inflation Surge

On Wednesday, US stocks experienced a significant downturn following the release of inflation data for March. The Dow Jones Industrial Average closed down 422 points,…

Gen Z Gen Z: Challenges and Opportunities

The entry of Generation Z (Gen Z), born between the late 1990s and early 2010s, into the workforce has sparked discussions about the unique economic…

Special
The best cards of 2024 Conteúdo desenvolvido por especialistas em crédito
See the full list